way2themes

Para uns, educação; para outros, coerção:

Por: | 10:59 Deixe um comentário
É um texto duro. Avisado antecipadamente, escolha lê-lo ou descartá-lo.








A descrição já é bem conhecida para quem utiliza os meios de transporte na capital Pernambucana e Região Metropolitana:

Filas enormes, pessoas impacientes, horário quase-inflexível (para ser eufemista) de chegada dos veículos coletivos nos terminais e o ingrediente-bomba - pessoas sem educação (suficiente) para entenderem que o prejuízo da demora não se aplica apenas a um grupo à espera. Chega o ônibus / metrô e... Atropelo, tumulto, gritaria e se havia bons modos, ficaram em casa ou em qualquer outro lugar distante. As desculpas populares são as mais esdrúxulas possíveis: " - Demorou, vou acotovelando; - Quem mandou atrasar! - Eu só quero ir sentado (mesmo que seja atropelando os demais e furando a fila); - Farinha pouca? Meu pirão primeiro!" E assim por diante.
O "vírus" chegou à integração do Terminal Rodoviário do Recife, ou TIP, como queira; ontem (quinta-feira) às 18:10 horas. O que já era ensaio semanas atrás (uns olhavam para um lado e outro à procura de alguma fiscalização, a fim de praticar a incivilidade) tornou-se ação deliberada, a exemplo de outros terminais. São Lourenço-TIP - veículo da abordagem. Um erro não justifica o outro, por reclamarmos algo que não temos feito por onde exigir. A cidadania pratica-se e exige-se, nesta ordem.
Não pude deixar de pensar na baixeza dos praticantes. Manuel Bandeira, agora é contigo:

O Bicho
Vi ontem um bicho
Na imundície do pátio
Catando comida entre os detritos.

Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.

O bicho não era um cão,
Não era um gato,
Não era um rato.

O bicho, meu Deus, era um homem.

0 comentários:

Postar um comentário