way2themes

Datafolha mais uma vez é, no mínimo, falho:

Por: | 13:34 Deixe um comentário
Vídeo – Flávio Bolsonaro detona DataFolha e diz que jamais apoiará Marcelo Freixo
Instituto de pesquisa apontou 7% de votos, mas filho de Jair terminou com o dobro: 14%

Por: Felipe Moura Brasil

Eis a disparidade entre o resultado do Datafolha na véspera da eleição no Rio de Janeiro e o resultado final do pleito:
DataFolha Urnas
Montagem de FMB
Publicidade
Isso mesmo: Flávio Bolsonaro (PSC) teve o dobro de votos em relação ao índice apontado pelo instituto de “pesquisa”, cuja margem de erro alegada é de apenas 2 pontos para mais ou para menos.
O Datafolha – ex-DataDilma, novo DataFreixo – agora deveria ao menos admitir que sua margem oficial de erro é de incríveis 7 pontos para mais ou para menos, ou então que oferece na véspera da eleição a sua margem de antidireitismo.
Ao colocar Pedro Paulo à frente dos seus concorrentes não integralmente esquerdistas na disputa para tirar Marcelo Freixo do segundo turno, o instituto induziu o voto útil no peemedebista, que alcançou um índice de 6,12 pontos a mais do que na pesquisa.
Como Freixo havia se distanciado de Jandira Feghali e Alessandro Molon, naturalmente os votos de esquerda também migraram para o psolista, turbinando sua candidatura na reta final.
Em entrevista à Rede Globo, Flávio criticou indiretamente o DataFolha, lamentou que parte da população ainda se deixe enganar por esse tipo de “pesquisa”, declarou que jamais apoiará Freixo, exemplificou as posições contrárias à agenda do psolista e disse que o apoio ao primeiro colocado Marcelo Crivella depende da iniciativa do candidato do PRB.
Assista.
* Reproduzo abaixo matéria de Veja.com:
“Imagina em 2018”, diz Jair Bolsonaro
Com resultado dos filhos, deputado federal projeta campanha presidencial daqui a dois anos e indica apoio a Marcelo Crivella no segundo turno
O clã Bolsonaro saiu vitorioso na eleição no Rio de Janeiro. Filho mais velho do deputado federal Jair, o deputado estadual Flavio Bolsonaro alcançou a quarta posição na disputa para prefeito com 13,9% dos votos, número bem superior ao indicado nas pesquisas durante toda a campanha. Outro filho, o vereador Carlos Bolsonaro, foi reeleito com a maior votação da cidade (106 657 votos).
“Foi excelente, fizemos uma campanha sem recursos. Fomos marqueteiros de nós mesmos. O Datafolha que nos colocou com 6% das intenções de voto para prefeito acabou atrapalhando, muita gente correu para o voto útil”, afirmou Bolsonaro a VEJA. O deputado sugere claramente que vai apoiar Marcelo Crivella no segundo turno no Rio. “Não votarei nulo, nem apoio Freixo de jeito nenhum”, diz.
O deputado também analisou a importância dos resultados para a disputa presidencial daqui a dois anos. Pelo acordo feito com o PSC, se Jair alcançar 10% das intenções de votos em pesquisas, será o candidato do partido ao Palácio do Planalto. “O Rio de Janeiro sempre teve um perfil de esquerda. Se aqui meu moleque chegou a quase 14% dos votos, imagina em 2018 eu no Brasil todo”, afirma.
Felipe Moura Brasil

0 comentários:

Postar um comentário