way2themes

Institucional - Palestra esclarece dúvidas da população sobre doença falciforme:

Por: | 08:57 Deixe um comentário
crasbeirario
A Secretaria Especial da Mulher em parceria com a Secretaria Estadual da Mulher realizou, hoje (26), no CRAS Beira Rio, uma palestra com o tema “As mulheres e a doença falciforme”. A doença é hereditária, ou seja, passa de pai para filho, e é caracterizada pela alteração dos glóbulos vermelhos do sangue.

Os sintomas da doença falciforme são anemia, dores nas articulações, icterícia (cor amarela na pele e nos olhos), palidez, cansaço, aumento do baço, desmaio, feridas nas pernas e infecções. Nas crianças, pode acontecer o inchaço nas mãos e pés por causa da inflamação dos tecidos que envolvem as articulações do punho, tornozelo, dedos e artelhos (junta dos ossos).

A descoberta da doença nos bebês é feita através do teste do pezinho, exame consiste na coleta de sangue, por meio de um pequeno furinho no pé do bebê e proporciona a detecção precoce de hemoglobinopatias, e é realizado a partir das primeiras 48 horas de vida do bebê até o quinto dia de nascimento. Como ainda não há cura para a doença falciforme, os portadores devem ser acompanhados constantemente para prevenir infecções e controlar a dor.

“A palestra faz parte do projeto chamado Interiorização de ações formativas sobre doença falciforme para as mulheres. Desde 2012 o Ministério da Saúde incluiu o exame de eletroforese, que descobre se a gestante tem ou não a doença falciforme, nos exames exigidos no pré-natal. Além disso, o exame do pezinho é extremamente importante para a detecção da doença nos bebês”, declarou a facilitadora da ação na Secretaria Estadual da Mulher, Flávia Lucena.

A operadora de caixa Cássia Jane Galdino aproveitou a oportunidade para tirar dúvidas sobre a doença. “Eu vim porque achei muito importante saber mais sobre a doença. Além disso, eu pretendo ter filhos e é essencial tirar todas as minhas dúvidas sobre o assunto”, disse ela. Já a dona de casa Rafaela Paula de Carvalho trouxe a pequena Sara, de um ano de idade, para assistir a palestra. “Eu tive muito cuidado quando a Sara nasceu e fiz logo o teste do pezinho. É de extrema importância a realização desse exame”, concluiu.

0 comentários:

Postar um comentário