way2themes

"O sucesso em mudar mentes em 5 minutos":

Por: | 08:49 Deixe um comentário
Blog narra bastidores da festa da PragerU nos EUA após 150 milhões de visualizações

Por: Felipe Moura Brasil

Dennis Prager telao discurso
Dennis Prager em seu discurso principal no jantar
Publicidade
Cheguei na manhã desta sexta-feira (28) de Los Angeles, nos Estados Unidos, onde passei três dias a convite da Prager University, a universidade virtual americana que produz e publica na internet vídeos de 5 minutos sobre temas de interesse público explicados por um apresentador da maneira mais simples, objetiva e educativa possível, com argumentos que refutam o senso comum fabricado pela propaganda de esquerda, bem como efeitos visuais que facilitam a compreensão do cidadão comum.
Cada apresentador é também o roteirista do vídeo, obviamente sob edição e direção da extraordinária equipe da chamada PragerU, cujo fundador, o literalmente gigante Dennis Prager, com seus 1,93 metro de altura, fez este colunista, o primeiro brasileiro convidado, parecer um anão.
Dennis e FMB
FMB e Dennis Prager no escritório da PragerU
Com o conceito de “Short videos. Big ideas” (“Vídeos curtos. Grandes ideias”), a PragerU comemorou nesta semana o alcance de 150 milhões de visualizações em todo o mundo, um número para o qual nós brasileiros, incluindo os leitores deste blog, também contribuímos. A maioria dos espectadores alcançados pela universidade é mesmo de jovens entre 18 e 35 anos, outro motivo de comemoração.
Ambas as versões do meu vídeo, gravado na terça-feira em inglês e português, serão publicadas em breve, em data ainda a ser definida, mas, sem antecipar maiores detalhes, são basicamente um recado direto à geração mais deslumbrada da população americana com as ideias e políticas que, no Brasil, resultaram nos desastres econômicos, morais e criminais que assistimos por aqui nos últimos anos.
FMB estudio Prager telao grande
FMB no estúdio da PragerU
prager u insta FMB
Divulgação da PragerU no Instagram Stories: “Felipe Moura Brasil sobre o que o socialismo fez com o… Brasil”
Já na noite de quarta-feira, tive a honra de estar com autores citados neste blog como Ben Shapiro e Andrew Klavan, o ator Jon Voight e a minha querida guatemalteca Gloria Alvarez no delicioso jantar comemorativo da PragerU, antes do qual Gloria e eu fomos entrevistados por Dennis Prager em espaço VIP restrito aos 150 maiores doadores do projeto – de 5 mil dólares a centenas de milhares de dólares, cada – para relatar os efeitos nefastos do aumento do tamanho e do poder do Estado em nossos países, e como esses vídeos têm sido fundamentais para educar as pessoas contra a propaganda esquerdista.
Ben Shapiro e FMB
Ben Shapiro e FMB
Andrew Klavan FMB
Andrew Klavan e FMB
“Não sei se vocês viram nas Olimpíadas, mas o Rio de Janeiro, onde eu moro, é uma cidade de praia, samba e futebol, então é muito difícil fazer as pessoas lerem num lugar assim. Se você lê no Rio, você já é praticamente um intelectual”, comentei, arrancando risadas. “Os vídeos educativos da Prager são ótimos neste sentido, porque a minoria que lê pode compartilhar com os amigos que não leem.”
Lembrei também uma famosa frase do ex-presidente republicano dos EUA Ronald Reagan – “Devemos medir o sucesso dos programas sociais pelo número de pessoas que deixam de recebê-lo e não pelo número de pessoas que são adicionadas” – para afirmar que durante o governo do PT valeu a regra contrária, sem oferta de porta de saída para os 50 milhões de beneficiários do Bolsa-Família, a ponto de um ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, comentar na semana passada que, dessa forma, generalizada, “a compra de voto agora é institucionalizada”.
“Precisamos de um juiz assim na nossa Suprema Corte”, completou Dennis Prager, naturalmente preocupado não só com as políticas socialistas do Partido Democrata, mas também com a substituição do falecido conservador Antonin Scalia na Suprema Corte por alguma versão americana de Ricardo Lewandowski no caso de Hillary Clinton ser eleita em 8 de novembro.
Nossa entrevista foi o preâmbulo do jantar com todos os convidados e seu objetivo era mostrar aos maiores doadores como o investimento deles na PragerU tem feito a diferença para mudar as mentes das pessoas mesmo em países da América Latina onde até a suposta oposição é de esquerda.
Pai da atriz considerada esquerdista Angelina Jolie e um dos raríssimos atores de Hollywood assumidamente conservadores, o extraordinário Jon Voight não apenas nos contou em seguida como ficou emocionado em saber o que estamos fazendo na Guatemala e no Brasil, como também se ofereceu para ajudar no que for preciso pedindo-me que anotasse seu e-mail e telefone. Foi no mínimo inspirador ouvir uma celebridade que realmente se preocupa com a propagação do conhecimento no mundo, ao contrário de tantas que só fazem pregar como solução novas doses dos nossos maiores problemas.
O lado cômico dessa conversa informal se deu quando perguntei se ele já havia visitado o Brasil. Com um sorriso autoirônico para compensar o possível embaraço, Voight respondeu que sim: esteve na Amazônia para filmar… “Anaconda”!
Grandes momentos.
Jon Voight Gloria FMB
Jon Voight, Gloria Alvarez e FMB
Já com todos os convidados sentados em mesas dispostas no jardim aberto do casarão na Beverly Glen Boulevard, alguns artistas se apresentaram rapidamente no palco, um deles pintando ao vivo um quadro com a famosa imagem dos seis combatentes do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA hasteando a bandeira do país no cume do Monte Suribachi, durante a Batalha de Iwo Jima, na Segunda Guerra Mundial. Outro, um jovem negro, cantou lindamente o hino nacional americano.
pintor Prager quadro
Joe Everson e seu quadro
Enquanto a comida era servida por garçons, a CEO da Prager, Marrisa Streit, agradeceu à equipe, aos apresentadores e aos doadores pelo sucesso do projeto, acrescentando, para risada geral, que todos poderiam expor tranquilamente suas opiniões conservadoras durante o jantar que nenhum dos presentes nos faria “bullying” no Facebook por causa disso.
Para um brasileiro como eu, acostumado a ambientes sociais repletos de esquerdistas, era uma situação ainda mais exótica estar ali reunido com a nata do conservadorismo da Califórnia.
Com a pintura patriótica de fundo e dois telões laterais reproduzindo e ampliando sua imagem, Dennis Prager subiu então ao palco para o principal discurso da noite. Reconhecendo que, no quadro geral, (ainda) estamos perdendo a batalha cultural e política para a esquerda, ele disse logo o seguinte:
“Você não luta só porque acha que pode vencer. Você luta porque você tem de vencer. Você luta porque é a coisa certa a se fazer.”
Ao falar dos tempos doentes em que vivemos, Dennis mencionou o psiquiatra judeu Viktor Frankl, também famoso entre conservadores brasileiros graças à obra do filósofo Olavo de Carvalho:
“As pessoas preenchem suas vidas com sentido. Viktor Frankl estava certo. Depois de comida, a maior urgência da humanidade não é sexo. Mesmo entre os homens. (Risos.) A maior urgência da humanidade é sentido. Há pessoas que vivem sem sexo e têm uma vida feliz. Mas ninguém vive sem sentido e têm uma vida feliz. O que temos hoje é uma escassez de sentido e as pessoas estão encontrando sentido por meios doentes. Sentido pode ser preenchido com o mau tanto como pode com o bem. Você vê isto no Oriente Médio e vê isto aqui, em diferentes expressões. Então tivemos esta ideia de que podíamos mudar mentes em 5 minutos. Aconteceu que estávamos certos. Você pode mudar mentes em 5 minutos.”
A explicação de Dennis para os motivos deste fenômeno são precisas na medida em que distinguem o pensamento – no sentido de compreensão dos fatos e da análise das consequências de cada decisão – e o puro sentimento de compaixão facilmente manipulável em favor de soluções agravantes:
“Porque não era a mentes delas que estava comprometida com outro modo de pensar. As pessoas da esquerda não pensam de modo esquerdista, elas sentem de modo esquerdista. Elas sentem pelos pobres, elas sentem pelos negros, elas sentem pelas mulheres, elas sentem pelos hispânicos, elas sentem pelos desamparados, elas sentem pelos palestinos. Elas não pensam a respeito disso, nada disso foi pensado. É um Gigante Azul [em astronomia, uma estrela pesada, com massa 18 vezes maior que a do Sol, usada aqui para dar a dimensão da casca mental de quem se deixou levar pela esquerda] furado com 5 minutos de razão e fato – e ela está acabada.”
Dennis também comentou que “periodicamente, como todo dia” as pessoas lhe perguntam se ele vai concorrer à presidência e admitiu que sua esposa é uma das maiores apoiadoras da ideia.
“Minha natureza não é nesta direção. Eu não tenho desejo de poder. Nenhum. Eu nunca tive. Essa é uma das coisas de que não gosto na esquerda: eles são loucos pelo poder. Tudo que eu sempre quis, encontramos escrito no meu diário de escola. Desde a minha adolescência, eu sabia o que queria fazer com a minha vida e isto não mudou. Eu quero influenciar as pessoas para o bem. Isto foi o que escrevi e eu nunca vacilei nem por um minuto.”
O criador da PragerU falou então da importância da tecnologia para atingir seu objetivo.
“Eu me senti desde a escola como um doutor que tem a cura do câncer e meu maior problema não era a cura, eu a tinha. O problema era colocá-la no mercado. (Risos.) Como eu a levo para as pessoas? E finalmente, após todos os livros, artigos e programas de rádio… E são todos os importantes, sem o rádio nada disso teria acontecido. Mas este (a internet) é realmente o veículo: a tecnologia nos ofereceu a oportunidade de nos aproximar do mundo com o bem. Isto é uma coisa enorme.”
Dennis então citou Gloria e eu, ao que todos em minha mesa naturalmente sorriram para mim.
“Sentar ali com duas pessoas maravilhosas do Brasil e da Guatemala, que foram tocadas pelo que nós produzimos aqui na América? Isto é algo grandioso.”
Ao final de seu emocionante discurso, Dennis, visivelmente emocionado, foi aplaudido de pé.
Para completar, os telões exibiram em seguida o divertido vídeo de lançamento do novo e altamente recomendável aplicativo da PragerU para celular, cuja narração em off começa assim:
“Quando engajado em discussões políticas com seus amigos esquerdistas, é sempre uma boa ideia estar preparado. Agora você pode estar.”
Obrigado, Dennis. O Brasil de bem agradece.
* Canal da PragerU no Youtube: AQUI.
* Página dos Tradutores de Direita, onde há, entre outros, vídeos da PragerU legendados em português: AQUI.
** Veja também aqui no blog:
– Por que eu, brasileiro, sou um conservador
– O mínimo que você precisa saber sobre a imprensa
– Quem odeia corrupção tem de combater inchaço do Estado
– 4 vídeos curtos para entender relações Israel-Hamas-ONU e conflito no Oriente Médio
Felipe Moura Brasil

0 comentários:

Postar um comentário