way2themes

O fato tem seu humor:

Por: | 20:00 Deixe um comentário
O caso é verdadeiro e aconteceu há algum tempo com o blogueiro:

Morando no Parque e precisando deslocar-me até o centro, tenho a opção de utilizar combis, ônibus, ou mesmo ir à pé. Como é mais barato e não quero fazer exercícios desnecessários, embarco no veículo alternativo e faço minha viagem até à Câmara, ou supermercado, ou... Até o fim do viaduto. Isso, fim do viaduto, não o final, e porque fim e não final? Relembro o ano passado:

Estou sentado próximo ao cobrador da combi, prestes a chegar ao destino e alguns metros antes eu digo: - No fim do viaduto eu desço!
O rapaz que aparenta atenção com o pedido repassa a informação ao motorista: - No final desce!
Eu escuto aquilo e fico um pouco incomodado, não disse daquele jeito e a reprodução foi falha. Deixa para lá, penso. Segundo dia, desço na mesma combi (saí no mesmo horário), preciso ficar no mesmo local do dia anterior e peço ao cobrador: - No fim do viaduto eu desço!
O indivíduo, que se lembra de mim atentamente, adianta o pedido:
- No final desce!
De novo! Imagino. Será possível que ele é tão desatento assim? Bem, relevo e sigo adiante. E mais um novo dia, mesmo horário, mesmo motorista, mesmo cobrador e... Adivinhe!?
- No final desce!

Dessa vez eu não me contive. Precisava explicar e saber dele sobre entendimento. Falei com ele e fiz duas explanações, a fácil e a difícil:
- Olhe, se você diz final é porque deve haver um inicial, você fala assim, inicial do viaduto?
- Não, respondeu-me.
- Então, continuei, da mesma forma que não fala assim, não deve dizer final.
Lá vem a difícil:
- Não dizemos, nesse caso, final; devemos dizer fim, pois final é um adjetivo, algo que caracteriza, muda um substantivo. Já fim é um substantivo, algo que dá nome a coisas, pessoas existentes ou não. Como é um lugar e lhe damos nome é por isso que chamamos fim. Você entendeu?
- Sim, garantiu.
Quarto dia (será que eu estava perseguindo o rapaz!? Não! Foi uma coincidência e tanto), e eu feliz por ver a pessoa e imaginar que alguém internalizou, apreendeu conhecimento, etc. Daí eu todo prosa digo: - Cobrador, no fim do viaduto eu desço! Ao que ele transmite:
- No final desce!
Rssss!

0 comentários:

Postar um comentário