way2themes

A metalinguística da comunicação local - leitura, apresentação noticiosa rasa:

Por: | 19:07 Deixe um comentário
Relembrando - a metalinguística é a utilização do código para falar dele mesmo. No caso deste post, sobre os reprodutores de notícias, seja de maneira falada ou escrita e sua condição de avaliar o conteúdo que apresentam. 
Falando de notícias verbalizadas, quem as dizem em São Lourenço da Mata:


Arinaldo Rodrigues (Novo Dia - Jornal da Manhã);
Fausto Neto (Novo Dia - Jornal da Manhã);
Eu (Damata - Programa Multicultural);
Jonas Silva (Damata - Programa do Meio Dia);
Sérgio Félix (Damata - Revista da Manhã);
Sheila Xavier (Damata - Programa posterior ao Revista da Manhã);
Tarcísio Lira (Novo Dia - Jornal da Manhã).

Em momento recente:
Bruno Galvão (Damata);
Mário Silva (Damata).

E os convidados (costumam frequentar programas e comentar a respeito):
Antônio Brito;
Gil Morais.

O conteúdo municipal, consegue-se dizer razoavelmente bem, uma vez que todos andam, circulam, pouco ou muito, mas estão próximos à cidade e seus acontecimentos. Nisso todos sabemos e temos propriedade para enunciar.

Já relacionado ao conteúdo de notícias estaduais, do país, de fora dele, dependem nossos comunicadores dos periódicos:
Folha de Pernambuco, Diário de Pernambuco, NE10, JC, blogs do Jamildo, Magno Martins, Inaldo Sampaio, etc., para ficar nos pernambucanos, que por sua vez reproduzem conteúdo dos jornais de maior alcance nacional. Só consultar esses, sem alternativas, mesmo, não é bom.

Ouvi diversos deles ou por escrito ou falado tornando o presidente estadunidense Donald Trump em um homem mau, incapaz, incompetente e todo tipo de opinião negativa. Se copiaram do New York Times, CNN e outros jornais de inclinação esquerdista nos EUA (sim, lá existe esquerda, embora nenhum grande jornal nosso esclareça) erraram por cópia sem pensar ou de caso pensado. Percebeu o quanto você, leitor é enganado nas três esferas? Nacional, estadual e local(!). O mesmo presidente enxovalhado já tomou medidas que incentivaram a economia, com o corte de impostos; ações que protegeram os cidadãos contra imigrantes ilegais (a grande imprensa nunca afirma i-le-gais, apenas imigrantes); atitudes que acalmaram (em parte) a Rússia; ele esteve recentemente na Arábia Saudita, contrariando quem o trata como xenófobo, islamofóbico e por aí vai.. Imagina se eu escrevo sobre o Brexit, sobre a invasão islâmica terrorista na Europa.. Todas estas assertivas escamoteadas pela grande mídia. Daí você vai confiar em quem reproduz informação enganosa?

Um radialismo de conteúdo noticioso que se baseia por açodamento  (pressa, precipitação) em algo que esteja apenas na superfície e fica satisfeito com verborragia pessoal ou de outrem para construir manchetes espalhafatosas é servir apenas como caixa de ressonância de interesses particulares e corporativos, com isso abandonando a missão nobre da comunicação, do jornalismo, radialismo - de iluminar onde existe quem deseje a sombra.

Nem ajo dessa forma, nem aceito isso. 
Ah! De nada adianta levantar os questionamentos sem resposta.
Sites e pessoas que leio de hoje em diante:

Senso Incomum
Crítica Nacional
Terça livre

Felipe G. Martins
Felipe Moura Brasil
Olavo de Carvalho
Claudia Wild
Vivi Orto
Bia Kicis

Continuo lendo e ouvindo os locais, mas não mais me deixo levar pelo que quer que digam sem analisar criteriosamente, para que eu mesmo não seja um reprodutor de notícias falsas, nem meias informações.

0 comentários:

Postar um comentário