way2themes

Generalidades Notícias, número 58:

Por: | 7/09/2018 07:30:00 AM Deixe um comentário
Mundo
Autoridades confirmam que 4 resgatados foram levados a hospital na Tailândia
As autoridades tailandesas confirmaram neste domingo o resgate de quatro meninos que faziam parte do grupo de 13 pessoas preso há mais de duas semanas em uma caverna no norte da Tailândia e apontaram que foram internados no hospital de Chiang Rai.

Narongsak Ossottanakorn, porta-voz oficial dos soldados de resgate, não quis precisar o estado de saúde dos resgatados e nem seus nomes ou idade.

"A missão foi mais bem-sucedida do que esperávamos", apontou o porta-voz.

O representante também anunciou a interrupção dos trabalhos de resgate até segunda-feira porque as equipes necessitam repor os galões de ar comprimido colocados ao longo da travessia e avaliar a nova fase da operação.

"Começaremos entre dentro de 10 horas e em menos de 24", estimou Narongsak.

Os outros nove presos continuam na cavidade a cerca de 4 quilômetros de profundidade, onde foram achados na segunda-feira após uma busca que começou há 15 dias.

A primeira operação de evacuação transcorreu mais rápido do que a previsão anunciada esta manhã pelas autoridades, embora o oficial não se tenha se pronunciado a respeito.

A equipe de salvamento, composta por 18 mergulhadores, adentraram na manhã de domingo no complexo subterrâneo com a determinação de retornar junto ao grupo através de quatro quilômetros de estreitas passagens subterrâneas com inundações parciais e desníveis de um terreno rochoso.

As precipitações eram uma das principais preocupações das autoridades, porque a água filtrada pelo monte pode voltar a inundar as galerias e anular a drenagem realizada desde que na segunda-feira foram achados com vida os 12 estudantes e o treinador.


Trump não irá cooperar com investigação de trama russa sem provas concretas
Rudy Giuliani, ex-prefeito de Nova York e advogado do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse neste domingo que o líder não prestará depoimento sobre a chamada "trama russa" se não forem apresentados "fatos que justifiquem a investigação".

"Queremos saber se existem fatos que justifiquem a investigação originalmente ou se os desenvolveram. Porque não podemos encontrar nenhum. Ninguém pode", disse Guiliani em entrevista concedida neste domingo ao canal "CNN".

Com estas palavras, o advogado tratou de responder declarações feitas previamente nesta semana nas quais dava a entender que o líder não se reuniria com a equipe de investigação do procurador-especial Robert Mueller, a não ser que fossem apresentadas provas da culpa de Trump.

No entanto, Giuliani disse que, após meses de audiências, o comitê de Inteligência do Senado concluiu na semana passada que a Rússia tinha crescido nas eleições presidenciais de 2016 com a intenção de ajudar o hoje presidente.

A investigação de Mueller se centra em revelar se existiu uma confabulação entre a equipe de campanha de Trump e o Kremlin e se, uma vez que ocupou a Casa Branca, o líder tentou obstruir as mesmas.

Além disso, Guiliani justificou o fato de Trump não ter demitido Mueller, apesar dos constantes ataques do presidente contra o procurador-especial nas redes sociais, nos quais o acusou em reiteradas ocasiões de dirigir uma autêntica "caça de bruxas".

"Se fizesse isso, todo o mundo diria que (Trump) é culpado e que é por isso que o demitiu", sustentou o advogado.

No passado, segundo informaram então os veículos de imprensa, o presidente pensou na opção de demitir ao procurador-especial, uma possibilidade que topou com a rejeição de boa parte da bancada de seu partido, o Republicano.

No entanto, na opinião de especialistas legais, se Trump quiser demitir o procurador-especial deve comparecer ao "número dois" do Departamento de Justiça, Rod Rosenstein, que foi quem se encarregou de nomear Mueller e supervisiona a investigação sobre a chamada trama russa.



Brasil
Presidente do TRF-4 revoga nova ordem de soltura e decide que Lula siga preso
O presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), o desembargador federal Thompson Flores, determinou neste domingo que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seja mantido na prisão, ao determinar que a decisão de soltura volte para o relator do processo da Lava Jato, João Pedro Gebran Neto.

Mais cedo, o desembargador federal Rogério Favreto, juiz plantonista do TRF-4, havia determinado pela segunda vez que Lula deixasse a carceragem da Polícia Federal, em Curitiba.

Pouco antes, o próprio Gebran Neto havia derrubado um primeiro habeas corpus emitido pelo magistrado.

Gebran Neto é um dos três juízes que integram a 8ª Turma do TRF-4, corte que condenou Lula em segunda instância a 12 anos e um mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Apesar da decisão de Gebran Neto, Favreto insistiu e ordenou no seu último despacho que Lula fosse posto em liberdade imediatamente, mas a Polícia Federal não agiu devido à contradição entre as decisões dos juízes.

O presidente do TRF, no entanto, afirmou que a decisão sobre a liberdade de Lula é competência do relator da Lava Jato e não do juiz plantonista.

"Determino o retorno dos autos ao Gabinete do Des. Federal João Pedro Gebran Neto, bem como a manutenção da decisão por ele proferida", disse Thompson Flores em referência à decisão que manteve Lula na prisão.

Dessa forma, Thompson Flores pôs fim, pelo menos de forma temporária, a um conflito jurídico sobre a liberdade do ex-presidente, que deverá permanecer na sede da Polícia Federal de Curitiba, onde está detido há três meses.

Favreto, juiz que estava de plantão no TRF-4, surpreendeu hoje ao conceder a Lula um habeas corpus e citou a pré-candidatura do ex-presidente às eleições presidenciais de outubro como um "fato novo" que deve ser levado em consideração para sua liberdade, mas o presidente do TRF-4 não concordou.

"Rigorosamente, a notícia da pré-candidatura eleitoral do paciente é fato público/notório do qual já se tinha notícia por ocasião do julgamento da lide pela 8ª Turma desta Corte. Nesse sentido, bem andou a decisão do Des. Federal Relator João Pedro Gebran Neto", argumentou.

Apesar da delicada situação de Lula, preso e condenado em um dos sete processos penais abertos na Justiça, o PT lançou a candidatura do ex-presidente para os pleitos do próximo dia 7 de outubro e garante não ter um "plano B".

Diante da expetativa de que Lula fosse libertado, dezenas de simpatizantes se reuniram hoje às portas da Polícia Federal de Curitiba para expressar seu apoio ao ex-presidente.


Pernambuco
Tombamento de torre da TV Manchete será avaliada na quinta-feira, 12
Caso de tombamento da torre da TV Manchete, em Olinda, foi adiado por conta da reabertura do Mercado Eufrásio Barbosa

A abertura do processo municipal de tombamento da antiga torre da TV Manchete e do terreno de oito hectares onde ela está, em Ouro Preto, em Olinda, ficou para a próxima quinta-feira (12). A apreciação, que estava marcada para o último dia 5, será feita em reunião do Conselho de Preservação do Sítio Histórico da cidade, com horário prevista para às 10h.

Segundo a secretária executiva de Patrimônio na Prefeitura de Olinda, Ana Cláudia Fonseca, o adiamento foi por conta da reabertura do Mercado Eufrásio Barbosa, que demandou a atenção dos conselheiros que avaliarão o caso do tombamento. “A expectativa é que, então, no mesmo dia, tenhamos a decisão sobre o assunto, a não ser que eles avaliem a necessidade de outras especificações sobre o caso”, completou Fonseca.

No dia 11 de junho, a secretária recebeu da Sociedade Olindense de Defesa da Cidade Alta (Sodeca) e da Associação de Imprensa de Pernambuco (AIP) o pedido de inclusão do espaço como área de proteção.


Exposições ocupam nova etapa do Cais do Sertão, no Recife Antigo
Obras de Ariano e Manoel Dantas Suassuna, do Coletivo Vacilante, e do acervo do Museu do Estado, estão em cartaz no novo espaço do Museu, que pode ser visitado de terça-feira a domingo

O museu Cais do Sertão teve seu espaço ampliado e traz três novas exposições para o público. O novo anexo do museu Luiz Gonzaga acaba de ser entregue e impressiona por sua estrutura (um bloco de concreto com 5,5 mil metros quadrados e um imenso vão livre que permite a visão do porto do Recife), que custou R$ 25,5 milhões.

Dentro dele, além de salas de aula para cursos, restaurante e outros elementos, há espaço para exposições. Até agosto, vão estar simultaneamente em cartaz "Avoenga", de Ariano e Manoel Dantas Suassuna; "Autovacilo", do Coletivo Vacilante; e "Ela Musa Artista", coletânea de arte feminina que recupera o acervo do Museu do Estado de Pernambuco (Mepe).

"Avoenga" teve como ponto de partida o livro "Ferros do Cariri - uma heráldica sertaneja", de Ariano Suassuna. Lançado em edição reduzida em 1974, ele registra uma espécie de alfabeto armorial e os tipos de ferro para marcar gado da família, a partir do pertencente ao bisavô de Ariano e trisavô de Dantas, Raimundo Francisco de Sá e Suassuna. "Quem herda o ferro é o filho mais novo", conta Dantas.

A herança familiar transborda nas pinturas, esculturas, tapeçarias e bordados que compõem a mostra, exposta na Sala Pajeú. "Avoenga é o patrimônio deixado após o encantamento do Pai. O direito de suceder aos bens dos antepassados", diz a frase que apresenta a mostra. Ao fundo, a trilha sonora de Berna Vieira mescla as vozes de pai e filho à música "Ariano", de Agildo Vieira, que toca um berimbau de duas cabaças também nomeado ariano.

Em sua primeira exposição realizada num museu, o Coletivo Vacilante traz a mostra "Autovacilo", que está dividida em dois momentos: uma exibição mais tradicional, composta por 13 obras e em visitação na Sala Moxotó, e uma ação de instalação aberta à participação do público, que vai acontecer no dia 29, a partir das 16h.

"Vamos pintar um carcaça de automóvel ao som da banda de rock Mabombe, e a peça vai passar um mês exposta no vão do museu", adianta Alexandre Pons, um dos três membros do coletivo, junto com Heitor Pontes e Luciano Mattos.

"O grupo é como um monstro de três cabeças. Eles gostam de brincar dizendo ser uma banda cover do artista Basquiat. Eles têm algo genuíno e singular, não conheço outro coletivo que se disponha a trabalhar realmente juntos, todos ao mesmo tempo sobre uma mesma peça. A arte geralmente tem ego, tem apego, e eles abrem mão disso e conseguem um resultado impactante", diz por sua vez o curador da exposição, Aslan Cabral.

Ela Musa Artista

Já a exposição "Ela Musa Artista" faz um resgate das artistas femininas que compõem o acervo do Mepe, dos anos 1940 até os dias atuais. São 70 obras, entre pinturas, desenhos e esculturas, que foram produzidas por nomes como Tereza Costa Rêgo, Marianne Peretti, Janete Costa, Maria Carmem e Guita Charifker, entre várias outras.

Para o curador da exposição, Rinaldo de Carvalho, "o percentual das obras feitas por mulheres, na maioria dos museus em todo o mundo, costuma ser menor do que o dos homens, e é preciso incentivar essa produção". A mostra foi instalada na Sala São Francisco e conta com um mural interativo, onde os visitantes podem deixar desenhos e mensagens.

Serviço:
Exposições no Centro Cultural Cais do Sertão
Visitação de terça a sexta-feira, das 9h às 17h. Sábados e domingos, das 13h às 17h
Avenida Alfredo Lisboa, s/n, Bairro do Recife
Quanto: R$ 10 ou R$ 5 (meia-entrada). Às terças-feiras, é gratuito
Informações: (81) 4042-0484

Com EFE e Folhape

0 comentários:

Postar um comentário